Características do amor verdadeiro na Bíblia: como é e onde está?

verdadeiro-amor-na-bíblia-como-é-e-onde-está

Todos nós desejamos amar e ser amados. Desde o bebê que dorme tranquilo nos braços de sua mãe até o homem idoso que espera a visita de seus filhos e parentes, todos temos uma necessidade inata de saber o quão importante, valioso e amado por outras pessoas.



O amor é um dos temas mais discutidos na literatura, cinema e música. Existem inúmeros livros, canções e poemas dedicados a ele. A Bíblia também nos fala muito sobre o amor. Na verdade, ele nos diz claramente que Deus é amor (1 João 4: 8) e nele encontramos o melhor exemplo de amor verdadeiro e incondicional. Mas o amor como tal foi distorcido ao longo dos séculos. Muitos o equiparam ao sexo; outros, com a sensação de poder e controle sobre outra pessoa. O que é amor realmente? Como o definimos?

A definição da palavra amor

A maioria das definições fala de amor como um forte sentimento ou emoção por uma pessoa ou por um grupo de pessoas, como família ou amigos. Em certas circunstâncias, pode se referir ao amor para com os animais ou algumas coisas materiais. Existem várias definições, mas na realidade não é um conceito fácil de definir.



Na Bíblia, encontramos um capítulo maravilhoso onde lemos o que pode ser considerada a melhor definição de amor. É o de 1 Coríntios 13. Nos versículos 4 a 8, vemos como deve ser e como o amor não deve ser:



Vamos ver em detalhes as características do amor que esses versículos mencionam.

Como deve ser o amor verdadeiro?

  • Paciente : sofre e resiste, resiste com força às fraquezas e defeitos do outro.
  • Ligação : oferece sempre o bem com gentileza e doçura.
  • Sem inveja : não se ressente ou se entristece com o bem-estar da outra pessoa. Em vez disso, alegra-se e comemora.


  • Ele não se elogia excessivamente ou é orgulhoso
    : ele não destaca seus méritos e qualidades em todos os momentos. Ele não exalta seus sacrifícios e esforços, nem menospreza a outra pessoa.
  • Não é rude : não é descortês, violento ou rude, mas entende e considera os sentimentos e o bem do outro.
  • Ele não é egoísta : ele não exige seus direitos nem exalta seus próprios interesses. Preste atenção e cuide dos interesses da outra pessoa.
  • Ele não fica com raiva facilmente : ele não perde o controle ou se ofende facilmente.
  • Ele faz não segure um rancor : ele não guarda na mente e no coração os erros e ofensas que, em sua opinião, o outro cometeu.
  • Ele não se deleita com o mal, mas se alegra com a verdade : ele não se alegra quando o amado comete um erro. Ele se alegra quando age com retidão e correção. Procure a verdade e aja.
  • Tudo se desculpa : perdoe e não divulgue as faltas da outra pessoa. Tente entender os motivos.
  • Ele acredita em tudo : ele confia na bondade e nos bons motivos da outra pessoa, a menos que haja evidência irrefutável em contrário.
  • Ele espera tudo : ele tem esperança e é otimista. Confie nas promessas de Deus e esteja disposto a esperar para ver as mudanças e bênçãos desejadas.
  • Ele suporta tudo : ele persevera e permanece paciente em meio às provas e dificuldades. Não é passivo, mas ativo; Procure soluções para os conflitos com a outra pessoa.
  • Nunca sai : Não tem fim, não tem fim, não tem fim. É eterno.

Onde encontramos esse amor?

Humanamente falando, pode parecer impossível amar assim ou encontrar alguém que nos ame assim. O verdadeiro amor não se baseia em sentimentos, mas na decisão de amar alguém incondicionalmente

e colocar em prática todas essas características, buscando o que é melhor para o outro. Como fazemos isso?

Recebendo esse amor! Quando experimentamos o amor incondicional de Deus, seu perdão e seu cuidado, a semente desse amor começa a germinar em nossos corações e o desejo de amar os outros da mesma forma surge em nós. Deus é o único que pode nos dar a habilidade de amar com tanta bondade e altruísmo. Ele é nosso exemplo do que é o amor verdadeiro. Deus nos amou tanto que enviou seu Filho Jesus a este mundo para que, por meio de sua morte e ressurreição, sejamos reconciliados com ele por toda a eternidade. Ele fez porque queria, sem nos perguntar nada antes. E ele fez isso por amor.



Uma vez que deixamos o amor de Deus nos preencher, começaremos a refletir seu caráter em nosso relacionamento com os outros. Não podemos dar o que temos. Portanto, para dar amor verdadeiro, precisamos recebê-lo primeiro. Você recebeu o amor de Deus em sua vida? Você já experimentou o poder de cura e restauração nele? Caso contrário, pode ser um bom momento para abrir seu coração. Seu amor vai transformar toda a sua vida!