Descubra detalhes surpreendentes da crucificação de Jesus

descubra-os-incríveis-detalhes-da-crucificação-de-jesus

A crucificação de Jesus é um dos acontecimentos históricos mais comentados e discutidos em livros, palestras e filmes. Pode ser por isso que nos acostumamos a ler ou ouvir a história da morte de Jesus, perdendo, em certa medida, a sensibilidade de compreender e apreciar a imensidão de seu sacrifício.



A morte de Jesus foi muito dolorosa e humilhante. A crucificação era reservada aos piores malfeitores e a punição aplicada com força e crueldade. No entanto, mesmo em meio a uma estrutura tão horrenda, houve alguns eventos impressionantes que deixaram claro que Jesus não era qualquer ser humano. Ele era Deus encarnado, com o propósito específico de salvar e redimir a humanidade . A morte não impediria que seu propósito fosse cumprido.

Vejamos algumas das coisas incríveis que aconteceram naquele dia, mostrando que a morte de Jesus foi incomparável.



Os dois eventos mais chocantes:

1. A atitude de perdão de Jesus

Quando chegaram ao lugar chamado La Calavera, ali o crucificaram, junto com os criminosos, um à direita e outro à esquerda.
Pai, disse Jesus, perdoe-os, porque eles não sabem o que estão fazendo.
(Lucas 23: 33-34a)



Mesmo em meio a tanta dor, horror e humilhação Jesus escolheu perdoar aqueles que o crucificaram. Jesus mostrou seu amor e compaixão até o último momento de sua vida terrena. Ele poderia ter pedido a Deus que mandasse fogo ou vingança contra seus algozes, mas não o fez. Ele escolheu perdoar!



E é que a cruz é exatamente isso: o perdão de Deus pela humanidade. Graças à morte na cruz de Jesus, o Cordeiro perfeito (João 1:29), não temos mais que pagar ou morrer eternamente por nossos próprios pecados. Apenas creia que o sacrifício de Jesus é válido para nós, aceite-o em nossos corações como Senhor e Salvador e viva para ele. Somos perdoados e reconciliados com Deus por meio de Jesus! Quanta graça e quanto perdão!

2. A morte não pode deter Jesus: ele ressuscitou!

Assim como ele havia sido profetizado (Salmo 16:10; Mateus 16:21), Jesus ressuscitou! A morte não conseguiu segurá-lo, ele não acabou com ele. E é graças à vitória de Jesus sobre a morte que nós, que cremos nele, também desfrutaremos a vida eterna com ele.



A verdade é que Cristo ressuscitou dos mortos, como as primícias dos que morreram. Na verdade, visto que a morte veio por meio de um homem, também por meio do homem vem a ressurreição dos mortos. Pois como em Adão todos morrem, em Cristo também todos viverão novamente.
(1 Coríntios 15: 20-22a)

Outros eventos impressionantes:

1. Trevas na terra

A Bíblia diz que enquanto Jesus estava na cruz, houve um tempo de trevas na terra.

Do meio-dia até o meio da tarde, toda a terra ficou em trevas.
(Mateus 27:45)



Lucas 23: 44-45 diz que o sol se pôs. Aparentemente, houve algo semelhante a um eclipse solar, mas mais longo e inexplicável. A natureza não ficou indiferente à morte de Jesus, o Cordeiro perfeito por meio do qual fomos redimidos.

Se olharmos para as pragas que Deus enviou ao Egito no Antigo Testamento, vemos em Êxodo 10: 21-23 que a nona praga foi uma grande escuridão. Depois dessa praga, veio a morte do primogênito do Egito, país onde o povo de Israel passou muitos anos na escravidão.



Apenas os filhos do povo de Israel sobreviveram a essa praga. Deus deu-lhes instruções precisas para espalhar o sangue de um cordeiro sem defeito nos dois pilares e na verga das casas onde se reuniram para celebrar a primeira Páscoa (Êxodo 12: 1-14). Graças àquele sinal, o sangue de um cordeiro imaculado nas ombreiras das portas, não sofreram a morte dos filhos.

2. O véu do templo foi rasgado em dois

Outro evento inexplicável durante a crucificação de Jesus foi que o véu do templo foi rasgado ao meio assim que Jesus morreu. Esse véu espesso e pesado separava o Lugar Santo do Lugar Santíssimo, o lugar terreno onde morava a presença de Deus, onde apenas o Sumo Sacerdote poderia entrar (Êxodo 26: 31-34).

Então Jesus gritou novamente e libertou seu espírito. Naquele momento, a cortina do santuário do templo se rasgou em duas, de alto a baixo.
(Mateus 27: 50-51a)

O véu rasgado simbolizava o acesso direto que agora temos à presença de Deus graças ao sacrifício de Jesus. Somente por meio dele temos acesso a Deus e ao perdão dos nossos pecados. Ele se ofereceu como o cordeiro perfeito para que, por meio dele, possamos ter paz com Deus.

Na verdade, Cristo não entrou em um santuário feito por mãos humanas, uma simples cópia do verdadeiro santuário, mas no próprio céu, para se apresentar diante de Deus em nosso nome. Nem entrou no céu para se oferecer vez após vez, como o sumo sacerdote entra no Lugar Santíssimo todos os anos com o sangue de outros. Nesse caso, Cristo teria que sofrer muitas vezes desde a criação do mundo. Pelo contrário, agora, no fim dos tempos, ele se apresentou apenas de uma vez por todas para acabar com o pecado, sacrificando-se a si mesmo.
(Hebreus 9: 24-26)

3. Tremor de terra

O Evangelho de Mateus também menciona um grande tremor de terra, tão forte que as pedras se quebraram. Vemos mais uma vez que a natureza reagiu fortemente à crucificação de Jesus.

4. Os túmulos foram abertos e alguns santos ressuscitaram



Por causa do tremor tão forte, as sepulturas se abriram. Mas o mais incrível é que muitos santos ressuscitaram. Ou seja, as pessoas com medo do Senhor que estavam mortas até aquele dia agora estavam vivas. Normalmente, isso não acontece quando há um terremoto. Somente o poder de Deus pode ressuscitar os mortos!

As sepulturas foram abertas e muitos santos que já haviam morrido ressuscitaram. Eles deixaram os túmulos e, após a ressurreição de Jesus, entraram na cidade santa e apareceram a muitos.
(Mateus 27: 52-53)

signo do zodíaco 21 de dezembro

Vemos que, após a ressurreição de Jesus, essas pessoas apareceram na cidade e muitos os viram. A Bíblia diz que eles eram santos, pessoas que amavam e serviam a Deus. Agora eles tinham uma nova oportunidade de testificar do grande poder de Deus sobre a morte física e a morte espiritual.

5. Reação do centurião e outros presentes

A coisa mais maravilhosa que pode acontecer é a transformação de um coração. O maior de todos os milagres é ver uma vida mudada tendo um encontro com Jesus. O mesmo centurião, escolhido para supervisionar que tudo acontecesse como deveria ser durante a crucificação de Jesus, não pôde resistir ao poder do amor redentor de Deus.

Então Jesus exclamou em voz alta: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito! E ao dizer isso, ele expirou. O centurião, vendo o que havia acontecido, louvou a Deus e disse: Verdadeiramente este homem era justo. Então aqueles que se reuniram para testemunhar aquele espetáculo, vendo o que aconteceu, saíram de lá batendo no peito.
(Lucas 23: 46-48)

O centurião louvou a Deus! Ele percebeu que Jesus não era qualquer homem. Ele sabia que Jesus morrera sem merecer e que o fizera por amor à humanidade. Tanto o centurião quanto outros que testemunharam a crucificação de Jesus notaram algo diferente em Jesus e ficaram chocados com isso. Suas vidas não seriam mais as mesmas.



E assim é. Quando nos encontramos com o Cristo crucificado, aquele que morreu por cada um de nós, não podemos permanecer os mesmos. Seu sangue nos purifica de todo pecado e, graças a ele, desfrutaremos a vida eterna.

E em virtude dessa vontade, somos santificados por meio do sacrifício do corpo de Jesus Cristo, oferecido de uma vez por todas.
(Hebreus 10:10)