Os sete pecados capitais na Bíblia

os-sete-pecados-mortais-na-bíblia

Os pecados capitais são, segundo o ensino da fé católica, sete inclinações naturais do ser humano que podem levá-lo a cair em outros pecados. No século VI, o Papa Gregório fez a primeira lista de sete pecados composta de orgulho, inveja, ganância, raiva, luxúria, gula e preguiça.



O termo capital não se refere à gravidade desses pecados, mas ao fato de que muitas vezes eles nos levam a cometer outros. A Bíblia não dá uma lista de pecados capitais, embora fale desses sete e nos encoraje a superá-los. Vamos ver uma breve definição de cada um.

  • Orgulho ou arrogância : estima e amor indevidos por si mesmo. Valorização descontrolada do próprio valor, intensa busca por atenção e honra.
  • Inveja, ciúme : desejo desordenado de possuir o que os outros possuem. Grande tristeza ou pesar pelo bem dos outros e alegria diante de seus reveses.
  • Ambição : desejo excessivo de obter bens e riquezas materiais estando disposto a usar, se necessário, meios ilícitos para obtê-los.
  • Raiva : sentimento de grande raiva que nos leva a se comportar de forma cruel e violenta. A causa pode ser real ou aparente, mas o sentimento é tão forte que muitas vezes obscurece a razão e impede a diferenciação.
  • Luxúria : desejo desenfreado de prazeres carnais que leva à imoralidade sexual. Busca a satisfação do desejo sexual de forma impulsiva e desordenada.
  • Gula : gula, apetite descontrolado por comida e bebida. Não entende os limites econômicos ou os danos que podem causar à saúde ou ao relacionamento interpessoal.
  • Preguiça : passatempo desequilibrado em repouso e lazer. Ele negligencia seus deveres para com Deus, para consigo mesmo e para com a sociedade.

O que a Bíblia diz sobre eles e como vencê-los

1. Orgulho



A Bíblia deixa claro que Deus não gosta do orgulho e nos avisa que seu fruto é a destruição. O orgulho é seguido pela destruição; à arrogância, ao fracasso (Provérbios 16:18). Ele destrói amizades, famílias e destrói nossa dependência de Deus.



Nossa atitude deve ser de humildade, de apreço para com aqueles que nos rodeiam. Romanos 12: 3 nos exorta: Que ninguém tenha um autoconceito mais elevado do que deveria, antes pense em si mesmo com moderação.

significado do sonho de piolhos



O Senhor é exaltado, mas leva em consideração os humildes e olha de longe para os orgulhosos.
(Salmo 138: 6)

O maior exemplo de humildade está em Jesus e ele deve ser nosso modelo em tudo. Jesus estava disposto a se humilhar por nosso amor e morrer na cruz para nos dar a salvação. Devemos deixar seu amor nos transformar e fluir em nossas vidas para que ele receba toda a glória.

Sua atitude deve ser como a de Cristo Jesus, que, sendo por natureza Deus, não considerava ser igual a Deus como algo a que se agarrar. Ao contrário, ele se rebaixou voluntariamente, assumindo a natureza de servo e tornando-se semelhante ao ser humano. E, ao se manifestar como homem, ele se humilhou e se tornou obediente até a morte e morte de cruz!
(Filipenses 2: 5-8)

2. Inveja, ciúme



A inveja traz dissensão e discórdia. Pois onde há ciúmes e rivalidades, também há confusão e todos os tipos de más ações (Tiago 3:16). Muitas vezes somos tentados pela inveja de ver os outros terem sucesso ou sermos reconhecidos e nos sentirmos ignorados. Aí começa a plantar a semente da inveja e do ciúme. Precisamos estar alertas e firmes no Senhor para não ceder ou cair em sua armadilha.



Nossa atitude muda quando somos cheios do Espírito Santo. Aprendemos a nos divertir com as conquistas dos outros. Em Romanos 12:15 está escrito: Alegrai-vos com os que são felizes; chore com aqueles que choram. Essa é a chave. Primeiro, aprenda a ser feliz e satisfeito com tudo o que Deus nos deu. Então, peça a Deus para transformar nosso coração para que possamos sentir alegria genuína ao ver as realizações dos outros.

Em outra época, também éramos tolos e desobedientes. Estávamos perdidos e escravos de todos os tipos de paixões e prazeres. Vivíamos na malícia e na inveja. Éramos detestáveis ​​e nos odiávamos. Mas, quando a bondade e o amor de Deus nosso Salvador foram manifestados, ele nos salvou, não por nossas próprias obras de justiça, mas por sua misericórdia.
(Tito 3: 3-5)

3. Ganância



Deus nos fornece tudo que precisamos, devemos estar satisfeitos com sua provisão. A ganância cresce quando tiramos Deus do trono do nosso coração e colocamos a insatisfação e o desejo de ter mais. Mateus 6:24 diz: Ninguém pode servir a dois senhores, porque desprezará um e amará o outro, ou amará um e desprezará o outro. Você não pode servir a Deus e às riquezas ao mesmo tempo. Para nos livrarmos da ganância, precisamos decidir quem será o dono do nosso coração.

Superamos a ganância com gratidão pela provisão de Deus. Liberte-se do amor ao dinheiro e contente-se com o que você tem, porque Deus disse: Nunca te deixarei; Eu nunca vou te deixar (Hebreus 13: 5). Devemos confiar que a provisão de Deus é e sempre será suficiente para ficarmos contentes e sermos gratos.

Então, se temos roupas e comida, vamos nos contentar com isso. Aqueles que desejam enriquecer caem em tentação e tornam-se escravos de seus muitos desejos. Esses desejos tolos e prejudiciais levam as pessoas à ruína e à destruição. Porque o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males. Por cobiçar isso, alguns se desviaram da fé e causaram muitos problemas.
(1 Timóteo 6: 8-10)

4. Raiva



A Bíblia não nos proíbe de ficar com raiva. A raiva é uma emoção boa em circunstâncias como injustiça, abuso ou opressão que nos incita a contribuir para evitar que essa situação continue.

O que a Bíblia proíbe é permitir que a raiva se transforme em raiva destrutiva e irracional. Em Efésios 4: 26-27, lemos: Se eles ficarem com raiva, não peque. Não permita que a raiva dure até o pôr do sol, nem dê espaço para o diabo. Vemos que existe um nível de raiva, raiva, que é pecaminosa e não devemos permitir que ela nos domine porque abre uma porta para a influência do diabo.

Meus queridos irmãos, tenham isto em mente: todos devem estar prontos para ouvir e ser lentos para falar e ficar com raiva; pois a ira humana não produz a vida justa que Deus deseja (Tiago 1: 19-20).

Quando a raiva assume o controle, perdemos de vista a presença de Deus e esquecemos que podemos confiar nele. Queremos fazer justiça com as nossas mãos e fazer com que a outra pessoa pague e tenha o que lhe é devido. Mas não deveria ser assim. Devemos sempre confiar na justiça de Deus e fazer o que é bom e agradável aos seus olhos.

Não se vingem, meus irmãos, mas deixem o castigo nas mãos de Deus, porque está escrito: A minha é a vingança; Eu pagarei, diz o Senhor. Em vez disso, se o seu inimigo estiver com fome, alimente-o; Se ele estiver com sede, dê-lhe de beber. Agindo assim, você o deixará com vergonha de seu comportamento. Não se deixe vencer pelo mal; Pelo contrário, ele vence o mal com o bem.
(Romanos 12: 19-21)

5. Luxúria

Quando Jesus entra em nossos corações, ele transforma a maneira como vemos tudo, inclusive nosso corpo. Percebemos que nosso corpo pertence a Deus porque ele nos criou. Seu propósito para nós é glorificá-lo em todas as nossas ações, palavras e pensamentos.

set 18 signo do zodíaco



Todas as áreas de nossa vida devem mostrar que Jesus é nosso Senhor. Precisamos submeter a ele a área sexual. Quando somos de Deus, tratamos nosso corpo e o dos outros com respeito, não nos permitimos ser controlados por pensamentos impróprios que não glorificam a Deus. Rejeitamos o que desagrada a Deus e deixamos que o Espírito Santo nos direcione e nos ensine a valorizar e respeitar nosso corpo e o daqueles ao nosso redor.

Fuja da imoralidade sexual. Todos os outros pecados que uma pessoa comete estão fora de seu corpo; mas aquele que comete imoralidades sexuais peca contra seu próprio corpo. Não sabes que o teu corpo é templo do Espírito Santo, que está em ti e que recebeste de Deus? Você não é seu próprio dono; Eles foram comprados por um preço. Portanto, honre seu corpo para Deus.
(1 Coríntios 6: 18-20)

6. Gula

Este é mais um pecado que danifica nosso corpo. Alguns acham que, para mostrar seu valor, deveriam comer fartamente em restaurantes exclusivos e beber bebidas caras. Outros tentam satisfazer suas necessidades emocionais ou reparar os danos que causaram a seus entes queridos por meio de alimentos e bebidas alcoólicas. Nada disso agrada a Deus.

Meu filho, preste atenção e seja sábio; mantenha seu coração no caminho certo. Não se juntem aos que bebem muito vinho, nem aos que se fartam de carne, porque os bêbados e os glutões, pela sua indolência, acabam esfarrapados e na pobreza.
(Provérbios 23: 19-21)

A gula afeta nossa saúde, nossas finanças e nosso relacionamento com os outros. Isso nos separa dos entes queridos porque nos concentramos em comer ou beber, em vez de procurar resolver nossos conflitos e problemas dialogando ou pedindo sabedoria a Deus. Se nos enchermos de Deus e vermos nossos problemas ou nossa aparência como ele os vê, nos refugiaremos nele e não na comida ou na bebida.

23 de maio signo do zodíaco



Vivamos decentemente, como à luz do dia, não em orgias e embriaguez, nem em imoralidade sexual e libertinagem, nem em dissensões e inveja. Em vez disso, revistam-se do Senhor Jesus Cristo e não se preocupem em satisfazer os desejos da natureza pecaminosa.

(Romanos 13: 13-14)

7. Preguiça

A pessoa preguiçosa se afasta dos outros física e emocionalmente porque deseja apenas seu próprio descanso e bem-estar. Provérbios 6: 9-11 descreve desta forma: Preguiçoso, por quanto tempo mais você vai ficar quieto? Quando você acorda do seu sono? Um breve sono, uma breve soneca, um pequeno descanso, braços cruzados ... e você será assaltado pela pobreza como um bandido e pela escassez como um homem armado!

Deus nos deu todas as habilidades, dons que devemos usar para trabalhar, sustentar a nós mesmos e nossas famílias e contribuir para a sociedade. Deus coloca desejos em nossos corações e nos dá as ferramentas para realizá-los. Devemos ser diligentes em descobrir e usar as habilidades que ele nos deu. É uma forma de mostrar gratidão e apreço a Deus por seu desígnio em nós.

Nunca pare de ser diligente; antes, sirva ao Senhor com o fervor que o Espírito dá.
(Romanos 12:11)

A vitória sobre o pecado

O pecado nos separa de Deus e impede que seus propósitos sejam cumpridos em nós. Todos nós temos brigas. Seja com um desses sete pecados ou qualquer outro, frequentemente lutamos contra nossa natureza pecaminosa. Mas Deus nos deu as ferramentas para vencer o pecado. Podemos nos aproximar de Deus em oração, com atitude humilde e arrependimento. Deus nunca rejeita um coração que reconhece que falhou. Salmo 51:17 diz que você, ó Deus, não despreze um coração quebrantado e arrependido.



E assim é. Quando chegamos com humildade diante dele, Deus nos recebe, nos perdoa e nos restaura. Ele nos enche com seu Espírito Santo e nos ajuda a viver em santidade mostrando seu amor, refletindo a vitória sobre nossos pecados e a alegria de sermos guiados por ele.

Aqueles que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a natureza pecaminosa, com suas paixões e desejos. Se o Espírito nos dá vida, andemos guiados pelo Espírito.
(Gálatas 5: 24-25)